14 de julho de 2009

um livro como testemunha... um encontro furtivo. Os olhares não se deixam enganar e as mãos sempre sabem mais do que aparentam...

Um comentário:

Yphurita disse...

Achei interessante a forma que escreve.